Sarkozy não convence Putin

Líder francês admite divergências sobre Irã e Kosovo

O Estadao de S.Paulo

11 de outubro de 2007 | 00h00

Moscou - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse ontem que não há provas de que o Irã esteja buscando armas nucleares, mas ressaltou que o programa nuclear de Teerã precisa ser mais transparente. As declarações foram feitas em Moscou ao lado presidente francês, Nicolas Sarkozy, que ontem encerrou sua primeira visita à Rússia - marcada mais por divergências do que opiniões em comum .Sarkozy deixou Moscou sem arrancar nenhum compromisso de Putin em relação ao Irã ou a Kosovo, província separatista de maioria albanesa na Sérvia. Mesmo assim, disse que a visita foi proveitosa. Segundo ele, os dois líderes conversaram sobre a Síria e o Líbano, além dos planos dos EUA de instalar equipamentos de seu sistema de defesa antimísseis no Leste Europeu. Sobre o Irã, o presidente francês admitiu: "Talvez nossa análise não seja exatamente a mesma sobre a situação naquele país." A França defende a adoção de sanções econômicas contra Teerã, o que Moscou rejeita. Putin viaja na próxima semana ao Irã. Sarkozy disse que uma solução é o Irã retomar a cooperação com a Agência Internacional de Energia Atômica. Quanto a Kosovo, que busca a independência com apoio francês, Sarkozy defendeu a cooperação com a Rússia na solução do problema. Putin defende a integridade territorial da Sérvia e deixou claro que não aceitará a pressão internacional pela independência de Kosovo.AFP E EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.