Sarkozy pede guarda-costas ''baixinhos''

Para parecer mais alto, presidente francês exigiu que agentes indianos não fossem muito altos

, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2010 | 00h00

Em visita à Índia, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, causou uma verdadeira dor de cabeça para a polícia local ao pedir guarda-costas de estatura baixa, que não fossem mais altos do que ele. A sensibilidade de Sarkozy com relação a sua altura é notória. A primeira-dama, a ex-modelo de 1,76m Carla Bruni-Sarkozy, usa sapatos sem salto quando acompanha o marido, de 1,68m - a mesma altura do imperador Napoleão Bonaparte, famoso por sua baixa estatura. O presidente chegou a proibir guarda-costas altos na segurança presidencial.

Segundo a imprensa indiana, "um pedido estranho do protocolo da chancelaria francesa deixou a polícia e as agências de segurança de Nova Délhi com um problema: encontrar e contratar seguranças mais baixos do que Sarkozy".

A questão é que agentes de segurança são, em sua grande maioria, altos. De acordo com o jornal britânico Daily Mail, não é a primeira vez que Sarkozy usa artifícios para parecer maior. Em junho, ele teria proibido que operários mais altos de uma fábrica se aproximassem dele durante um evento. O governo francês negou a proibição, qualificando a notícia de absurda.

Na ocasião, um jornal local brincou com o incidente. "Parece que os funcionários decidiram atender ao pedido do presidente francês para não enfrentarem o exílio na terra dos pigmeus."

Apesar de usar sapatos especiais para ficar mais alto, em junho do ano passado, Sarkozy foi flagrado sobre um tablado durante do discurso do Dia D, na Normandia.

De acordo com o Palácio do Eliseu, ele teria usado o mesmo púlpito adaptado para o ex-primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e o presidente americano, Barack Obama - ambos mais altos do que Sarkozy - e, por isso, foi necessária a pequena "adaptação".

O presidente francês é um dos chefes de Estado mais baixos do mundo - perde apenas para o ditador norte-coreano, Kim Jong-Il, e o presidente russo, Dmitri Medvedev. Sua altura foi alvo de uma piada em uma publicidade francesa. Uma locadora de carros sugeria que os clientes escolhessem o Citroen C3 com o slogan: "Faça como a Madame Bruni, opte pelo pequeno modelo francês." / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.