Sarkozy: potências devem reforçar sanções contra o Irã

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, declarou hoje que as potências mundiais devem "reforçar as sanções" contra o Irã. O motivo para isso, segundo Sarkozy, é que não houve avanços nas conversas recentes para limitar as ambições nucleares de Teerã. A mais recente rodada de negociações entre o Irã e as potências ocorreu em Istambul na sexta-feira e no sábado.

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2011 | 11h31

Potências lideradas pelos Estados Unidos temem que o governo iraniano busque secretamente armas nucleares, mas Teerã garante ter apenas fins pacíficos. Como resultado do impasse, o Irã já sofreu quatro rodadas de sanções no Conselho de Segurança da ONU.

Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança - EUA, França, China, Grã-Bretanha e Rússia - mais a Alemanha participam das negociações internacionais com o Irã. Essas potências formam o grupo chamado P5+1. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
nuclearIrãSarkozy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.