Jamil Chade/Estadão
Jamil Chade/Estadão

Sarkozy defende refúgio temporário e controle de fronteiras na UE

Ex-presidente francês critica plano da UE de estabelecer cotas entre os países-membros para acolher imigrantes vindos do Oriente Médio

O Estado de S. Paulo

10 Setembro 2015 | 09h39

PARIS - O ex-presidente Nicolas Sarkozy disse nesta quinta-feira, 10, ser contra o plano da União Europeia de impor uma política migratória comum aos países-membros do bloco, com cotas de refugiados para cada país. Principal opositor ao presidente François Hollande, Sarkozy defendeu em entrevista ao jornal Le Figaro que os refugiados de guerra tenham um "status temporário" na Europa. 

O opositor francês ainda defendeu o fim da livre circulação entre os países da UE que fazem parte do Espaço Schengen e pediu a volta dos controles de fronteira e passaporte para cidadãos não europeus.

 "As cotas não seriam aceitáveis sem uma política comum de imigração. Sem isso, aceitaremos estrangeiros sem os critérios estabelecidos", disse. "A França não tem capacidade de aceitar imigrantes que fogem da pobreza de uma forma que não seja limitada. Os refugiados devem ser aceitos em nome de nossa tradição humanista."

Sarkozy ressaltou, no entanto, que essa acolhida deve ocorrer apenas durante período de conflitos e repatriar os refugiados uma vez que a paz esteja restabelecida./EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.