Sarkozy reduz gabinete de 37 para 30 membros

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, anunciou neste domingo uma reforma em sua equipe de governo com poucas mudanças nos principais cargos. No entanto, o gabinete está menor, mais alinhado à direita e em sintonia com a conduta de austeridade fiscal do presidente. O novo gabinete tem agora 30 membros, e não mais 37, e é dominado por pessoas do próprio partido de Sarkozy, o UMP. Trata-se de uma clara tentativa de fortalecimento do partido para a eleição presidencial de 2012.

AE, Agência Estado

14 de novembro de 2010 | 19h09

O ex-primeiro ministro Alain Juppé foi nomeado ministro da Defesa, substituindo Herve Morin, enquanto Michele Alliot-Marie foi trocada por Bernard Kouchner no Ministério do Exterior.

A ministra das Finanças Christine Lagarde, que havia afirmado querer continuar no cargo, foi mantida, bem como o ministro do Orçamento Francois Baroin, que também assumirá o posto de porta-voz do governo. Uma série de rumores sugeriam neste domingo que Lagarde e Baroin permaneceriam.

A reestruturação era esperada para segunda-feira ou terça-feira, mas foi adiantada porque o primeiro-ministro François Fillon renunciou na noite de sábado, num passo formal necessário para que um novo governo pudesse ser formado.Hoje de manhã, Fillon foi renomeado por Sarkozy, indicação de que o presidente optou por uma continuidade, em vez de tentar recuperar eleitores que perdeu com a tão impopular reforma do sistema de pensão. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaNicolas Sarkoy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.