Sarkozy sugere que comissária da UE receba ciganos

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, sugeriu hoje que a comissária da União Europeia (UE) que criticou a expulsão de ciganos pelo governo francês poderia receber esses ciganos em seu próprio país, Luxemburgo. As declarações do presidente foram divulgadas por senadores, após um almoço entre os parlamentares e Sarkozy.

AE, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 12h21

"Ele (Sarkozy) disse que estava apenas aplicando as regulações europeias e as leis francesas, e que a França era irretocável no assunto. Mas que se os luxemburgueses querem recebê-los (os ciganos), sem problema", disse o senador Bruno Sido, do mesmo partido do presidente, a União por um Movimento Popular (UMP). "Ele disse que nossa política é correta e, como ele explicará amanhã, é escandaloso que a Europa se expresse dessa maneira sobre como a França está agindo", disse Sido. O parlamentar se referiu a um encontro da UE em que Sarkozy participará em Bruxelas, na quinta-feira.

Ontem, a comissária de Justiça da União Europeia, Viviane Reding, comparou a ação da França contra os ciganos às deportações de imigrantes ocorridas na Segunda Guerra, o que gerou revolta entre os franceses. Na ocasião, a comissária advertiu a França sobre a possibilidade de serem tomadas ações legais contra a ação do país em relação aos ciganos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaciganosexpulsãoUELuxemburgo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.