Sarkozy: tropas africanas devem ser enviadas ao Congo

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse hoje que tropas africanas, e não européias, deveriam ser enviadas para reforçar a missão militar de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na República Democrática do Congo (antigo Zaire). Sarkozy, que atualmente preside a União Européia (UE), disse que as nações européias têm compromissos militares em outros lugares e não podem se comprometer a enviar mais tropas ao leste do Congo, onde os insurgentes lutam contra forças do governo. "Não é que nós na Europa não queiramos participar, é que existem forças regionais que estão prontas a ir para região de conflito", disse Sarkozy aos repórteres, em meio à cúpula da UE.Segundo ele, poderes regionais como Angola "estão prontos" a enviar tropas à missão da ONU. Ele disse que o bloco poderá providenciar transporte e ajuda logística para entregar alimentos, se for necessário. Sarkozy também questionou se a força adicional de três mil soldados, pedida pela ONU, poderá realmente acabar com o conflito no leste do Congo.Anos de lutas no leste congolês se intensificaram em agosto, após uma ofensiva renovada do general rebelde Laurence Nkunda. Os combates a partir de agosto já deixaram 250 mil pessoas refugiadas. Tanto os rebeldes quanto as tropas do governo são acusadas de atrocidades contra civis e os 17 mil soldados da força da ONU já presentes no Congo não conseguiram manter a paz.As nações européias estudam no momento como atender a um apelo do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, por mais tropas para o Congo. Ban pediu aos países europeus que mandem mais tropas, pelo menos em caráter temporário, enquanto a ONU tenta convencer outros países a participarem da missão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.