Sars causa tensão política entre China e Taiwan

A proliferação da pneumonia atípica começa a se tornar mais um motivo de tensão entre a China e Taiwan, ilha considerada por Pequim como parte do território chinês. Nesta semana, a China deixou claro à Organização Mundial da Saúde (OMS) que Taipé, local também afetado pelo vírus, deveria ser tratado como parte de seu território e que, portanto, não deveria ser convidada a participar da Assembléia Mundial da Saúde como membro independente.A reunião ocorre a partir do dia 19 deste mês, em Genebra, e um dos temas centrais será como adotar estratégias para combater a doença misteriosa. Taiwan, com 131 casos identificados do vírus e 13 mortes, não poderá sequer entrar na sala de reuniões. Taiwan, há décadas, solicita que seja autorizada a assistir às reuniões da OMS, mas seu ingresso é bloqueado todos os anos pela China.Tanto as autoridades de Taipé como as de certos países ocidentais insistem que, diante da situação causada pela pneumonia, Taiwan deveria poder ao menos participar da Assembléia na condição de observador neste ano. "Assuntos políticos não deveriam fazer parte dos debates sobre saúde", defende o diretor do departamento de doenças transmissíveis da OMS, David Heymann. Mas em Genebra, e mais especificamente no caso da pneumonia, os lobbies políticos e considerações econômicas têm sido elementos centrais no debate sobre a doença misteriosa."A ironia é que, querendo ou não, a pneumonia atípica finalmente colocou Taiwan no mapa da OMS, mesmo que tenha sido no mapa de doenças", afirmou um experiente diplomata europeu na ONU.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.