Satélites de comunicação colidem na órbita da Terra

Dois satélites de comunicação colidiram no primeiro acidente de grande porte entre duas naves espaciais na órbita da Terra, causando duas nuvens de fragmentos que representam um pequeno risco à estação espacial internacional Alpha, informaram autoridades espaciais no fim da noite de ontem. A agência aeroespacial americana (Nasa, por suas iniciais em inglês) informou que precisará de algumas semanas para determinar com exatidão a magnitude do choque, ocorrido terça-feira na órbita terrestre a cerca de 800 quilômetros sobre a região russa da Sibéria."Sabíamos que isso aconteceria um dia", comentou Mark Matney, um cientista do Centro Espacial Johnson da Nasa, em Houston, especializado em lixo espacial. A Nasa calcula que o risco à estação orbital seja mínimo. A base circunda a Terra mais de 400 quilômetros abaixo da área de choque. Da mesma forma, não há expectativa de perigo para o ônibus espacial que partirá no próximo dia 22 com sete astronautas a bordo, mas uma nova reavaliação será feita nos próximos dias.O choque envolveu um satélite comercial americano lançado em 1997 e um de fabricação russa colocado em órbita em 1993 e que, aparentemente, estava fora de funcionamento. O satélite russo estava fora de controle, afirmou Matney. Cada um dos satélites pesava aproximadamente meia tonelada. Ainda é desconhecida a quantidade de destroços resultante da colisão. Já houve colisões acidentais anteriores na órbita da Terra, informou a Nasa, mas todas elas envolviam choques menores envolvendo peças soltas de foguetes ou de satélites pequenos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.