AP
AP

Satélites detectam atividades em base de mísseis da Coreia do Norte que deveria estar desativada

Ditador norte-coreano, Kim Jong-un, havia anunciado que base de mísseis de Sohae seria desativada

EFE, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2019 | 00h55

SEUL - Imagens por satélite analisadas nesta quarta-feira (data local) por especialistas mostram a reconstrução parcial da base de mísseis de Sohae, na Coreia do Norte, contrariando o anúncio de Kim Jong-un de que ela seria desativada. 

O material analisado, capturado no último sábado, dois dias depois da cúpula entre Kim e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostra que o regime norte-coreano começou a reconstruir a plataforma de lançamento e o local de teste de motores de mísseis.

As imagens, analisadas separadamente pelo Centro de Estudos Estratégicos Internacionais (CSIS) e pelo site "38north", ambos com sede em Washington, mostram guindastes em construção, veículos e vários equipamentos no entorno da base antes desativada.

Na área de lançamento, os especialistas notaram que a estrutura para o transporte de mísseis está sendo reconstruída na base, que fica no noroeste do país, perto da fronteira com a China.

A Coreia do Norte começou a desativar a base de Sohae em junho do ano passado, pouco depois da primeira cúpula entre Kim e Trump.

Apesar de o regime norte-coreano não ter se comprometido a desmantelar Sohae por escrito, Trump afirmou que o próprio Kim prometeu que desativaria a base. O gesto foi visto como uma pré-disposição para avançar na desnuclearização do país.

Não se sabe por que Kim decidiu reconstruir a estrutura nem a data exata que os trabalhos de reconstrução recomeçaram.

Os analistas do CSIS afirmaram que o movimento pode indicar um desafio da Coreia do Norte aos EUA após Trump negar o fim das sanções contra o país, demanda exigida por Kim na cúpula do Vietnã.

Os dois governos divulgaram versões diferentes sobre as propostas feitas na reunião, mas o encontro deixou claro que há grandes divergências entre as partes. Trump decidiu encerrar a cúpula de forma abrupta, mas a Casa Branca afirmou que o presidente planeja se encontrar outra vez com o líder norte-coreano em breve. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.