Dominic Lipinski/AP
Dominic Lipinski/AP

Saudações com tiros marcam a morte do príncipe Philip em todo o Reino Unido

Neste sábado, também houve salva de tiros em Gibraltar e em navios de guerra da Marinha Real em homenagem ao duque de Edimburgo e marido da rainha Elizabeth II

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2021 | 08h25
Atualizado 10 de abril de 2021 | 10h40

LONDRES - Saudações com tiros em todo o Reino Unido, nos países da Comunidade Britânica e no mar, em navios de guerra da Marinha Real, marcaram neste sábado, 10, a morte do príncipe Philip, duque de Edimburgo e marido da rainha Elizabeth II. Os líderes militares designaram baterias de canhões e armas para homenagear o ex-oficial da Marinha.

Na Inglaterra, membros da Honorável Companhia de Artilharia dispararam uma saudação de arma de fogo de 41 tiros do cais da Torre de Londres, para homenagear o príncipe Philip. Em Edimburgo, Cardiff e Belfast, as equipes dispararam 41 tiros em intervalos de um minuto, começando ao meio-dia deste sábado (horário local), segundo o Ministério da Defesa do Reino Unido. 

Em meio à pandemia da covid-19, as autoridades encorarajam a população a assistir às saudações online ou pela televisão de casa. 

Philip morreu na sexta-feira, 9, aos 99 anos. Britânicos e pessoas de outras nacionalidades, em luto, estão deixando flores novamente em frente ao Palácio de Buckingham e ao Castelo de Windsor, um dia depois de sua morte. 

Saudações com tiros também marcaram as mortes da Rainha Vitória em 1901 e Winston Churchill em 1965.

Ainda na manhã deste sábado, pequenos grupos de pessoas se reuniram perto dos portões da frente do Palácio de Buckingham, onde o Union Jack voa com metade da equipe. 

Anteriormente, as flores deixadas lá na sexta-feira foram retiradas e colocadas na parte de trás de uma van. Os funcionários do palácio têm incentivado as pessoas a não irem ao Palácio de Buckingham ou ao Castelo de Windsor para deixar flores em meio à pandemia do coronavírus

Papa elogia a devoção do príncipe Philip à família

Ainda neste sábado, o papa Francisco ofereceu suas "mais profundas condolências" à rainha Elizabeth II pela morte de seu marido, o príncipe Philip, a quem elogiou por sua devoção ao casamento e seu "histórico ilustre" de serviço público. 

Em um telegrama enviado pelo secretário de Estado do Vaticano tornado público neste sábado, o pontífice disse que ficou "triste" ao saber da morte do duque de Edimburgo. Recordou a devoção do príncipe Philip ao seu casamento e família, seu distinto histórico de serviço público e seu compromisso com a educação e promoção das gerações futuras. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.