Saúde do ex-líder indonésio Suharto é crítica, diz médico

Suspeita de infecção pulmonar agrava a situação do ex-ditador, que está internado desde a última sexta-feira

Agências Internacionais

11 de janeiro de 2008 | 12h13

A saúde do ex-ditador indonésio Mohammad Suharto, de 86 anos, é crítica e piorou esta madrugada, conforme informou um médico e familiares nesta sexta-feira, 11. Ele está internado desde o último dia 4 em um hospital de Jacarta e está sendo mantido vivo por aparelhos e respirando com dificuldade.  Uma suspeita de infecção pulmonar agrava a situação do ex-ditador. Após esta notícia, familiares cercaram Suharto e começaram uma serie de orações, contou um parente que pediu para não ser identificado. "Sua condição esta se deteriorando. Está pior esta manhã",disse o cardiologista Ismoyo. O ex-ditador, cujo regime é visto como um dos mais corruptos e brutais do século 20, tem complicações de saúde desde que foi afastado do poder, no auge da crise econômica asiática de 1997-98., de 1967 a 1998. Suharto sofreu uma série de derrames que danificaram permanentemente seu cérebro e prejudicaram a fala. Essa condição debilitada o poupou de enfrentar as acusações de abuso de direitos humanos e uso indevido do dinheiro público durante os 32 anos que governou. "Sua saúde é preocupante, piorou muito. Estamos tentando fazer o melhor que podemos, informou um médico da equipe responsável por Suharto, que não quis se identificar. Suharto foi inicialmente diagnosticado com anemia e pressão baixa e submetido a transfusão de sangue e diálise. Mas o ex-ditador apresenta também excesso de líquido nos pulmões. Sua pressão e os índices de hemoglobina voltaram ao normal, mas os rins ainda não funcionam. "Estamos tratando Suharto com remédios para prevenir uma piora. Entre os medicamentos, há antibióticos e antiinflamatórios. Corrupção  Suharto, que até o momento tem evitado ser levado a julgamento graças a seu exército particular de advogados e a seu estado de saúde, lidera as listas de dirigentes mais corruptos do Banco Mundial (BM) e da organização Transparência Internacional. Em setembro, a Corte Suprema da Indonésia condenou a revista americana Time a indenizar Suharto em US$ 106 milhões por causa de um artigo que acusava o ex-presidente e a sua família de enriquecimento ilícito.

Tudo o que sabemos sobre:
IndonésiaSuharto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.