Saúde e aeroportos fazem greve e manifestações na França

Na mais recente jornada de protestos contra os planos de reformas do governo do presidente Jacques Chirac, milhares de médicos, enfermeiros e outros empregados do setor de saúde marcharam pelas ruas de Paris, ao mesmo tempo em que uma greve de funcionários de aeroportos atrasava vários vôos em todo o país. Os atrasos nos horários dos aviões não passaram de 30 minutos no principal aeroporto da França, o Charles de Gaulle, segundo autoridades do local. Os vôos no aeroporto de Orly não foram afetados.Cerca de 19% dos 8.100 empregados do Charles de Gaulle aderiram à greve. A manifestação ocorreu no dia seguinte à paralisação dos funcionários ferroviários, que provocou sérios problemas aos usuários do transporte.Sete sindicatos de hospitais planejavam realizar manifestações por toda a França. Na capital, os trabalhadores marcharam até o prédio do Ministério da Saúde. Os trabalhadores da saúde afirmam que não dão conta de atender à grande quantidade de pacientes. Em agosto, quase 15.000 pessoas morreram na França, a maioria formada por anciões, devido a uma onda de calor.Muito criticado pelas mortes, o governo conservador prometeu melhorar o sistema público de saúde, que é considerado um dos melhores do mundo. Os sindicatos são contrários às reformas propostas pelo Ministério da Saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.