Saudita acusado de seqüestro está vivo no Marrocos

Walid Alshehri, piloto formado pela escola de Daytona Beach, na Flórida, de início indicado pelo FBI como um dos envolvidos nos ataques de 11 de setembro nos EUA, está vivo, vive em Casablanca, no Marrocos, e trabalha numa empresa aérea do país, segundo informa funcionário da companhia em Rabat.Na sexta-feira, O FBI confirmou a membros da Universidade Embry-Riddle, na Flórida, que Alshehri está vivo. O piloto teria inclusive se comunicado, no início desta semana, com os diplomatas norte-americanos no Marrocos. A polícia federal dos EUA havia indicado Alshehri como um dos supostos seqüestradores a bordo do vôo 11 da American Airlines que se chocou contra o World Trade Center. No entanto, nos últimos dias os investigadores colocaram em dúvida a identidade de muitos dos supostos seqüestradores, embora tenham se recusado a comentar o assunto.Nascido na Arábia Saudita, Alshehri esteve se preparando, "pelo menos nos últimos seis meses", em Casablanca, para ser piloto de carreira da companhia marroquina, confirmou um funcionário da empresa que pediu para ser mantido no anonimato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.