Schaeuble quer taxar operações financeiras na UE

O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, ressaltou neste sábado que continua disposto a implementar um imposto europeu sobre transações financeiras, ainda que um acordo sobre um tributo único pareça remoto. "A solução perfeita de um imposto sobre operações financeiras em âmbito europeu provavelmente não pôde ser alcançada" porque seria necessária unanimidade, afirmou ele em uma coletiva de imprensa, após a reunião de ministros de Finanças da zona do euro, em Copenhague.

AE, Agência Estado

31 de março de 2012 | 14h14

Contudo, as negociações sobre o assunto avançaram ontem e hoje, e outras soluções continuam possíveis, segundo Schaeuble. Na sexta-feira, a Alemanha apresentou um documento aos parceiros da União Europeia (UE) sobre os méritos de introduzir um tributo único sobre as transações financeiras do bloco, que se assemelharia ao da Grã-Bretanha, disse uma pessoa familiarizada com o assunto na sexta-feira.

O plano visa a desencorajar operações que não produzam valor, particularmente as de alta frequência, acrescentou a fonte. A tarifa também seria aplicada a outros instrumentos além dos mercados acionários e resolveria o problema de os serviços financeiros não estarem sujeitos à tributação sobre valor agregado, informou.

Separadamente, Schaeuble saudou a decisão tomada por seus colegas da zona do euro de ampliar o fundo de resgate, mas repetiu que o tamanho da barreira de proteção não é o principal problema. "Eu acho que chegamos a um bom resultado", afirmou o ministro de Finanças alemão. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaIOFUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.