Schroeder considera plano de mísseis dos EUA 'perigoso'

O plano dos Estados Unidos de criar umescudo de mísseis na Polônia e na República Tcheca é"politicamente perigoso," disse o ex-primeiro-ministro alemãoGerhard Schroeder neste sábado. "Do meu ponto de vista, o sistema de defesa de mísseis époliticamente perigoso. É visto como uma tentativa de isolar aRússia, coisa que não é do interesse político da Europa", disseSchroeder, que é amigo pessoal do presidente russo, VladimirPutin. "É responsabilidade da Alemanha... persuadir os EstadosUnidos a abandonar esses planos", disse ele em uma mesa-redondacom analistas políticos e jornalistas. Schroeder, que se tornou amigo de Putin quando eraprimeiro-ministro, está em turnê promovendo seu livro "Decisões--Minha Vida na Política," que é recheado de elogios àspolíticas do chefe do Kremlin. Os Estados Unidos pretendem construir um sistema dedetecção e interceptação de mísseis na Polônia e na RepúblicaTcheca, afirmando que precisam de proteção contra ataques demísseis de países como Irã e Coréia do Norte. A Rússia reagiu ao plano furiosamente, afirmando queprejudicará o delicado equilíbrio entre as maiores potências eque representa uma ameaça à sua própria segurança. Schroederdisse que o plano também não atende aos interesses da UniãoEuropéia. "O plano foi apresentado como um negócio entre os paísesenvolvidos e os norte-americanos. Mas ele diz respeito à Europacomo um todo", disse Schroeder, acrescentando que a UE deveriaabdicar de "interesses nacionalistas de visão estreita." Schroeder, que preside um grupo empresarial responsávelpela construção de um grande gasoduto sob o Mar Báltico, é umdos poucos políticos ocidentais a apoiar a Rússia em muitasquestões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.