Schwarzenegger nega clemência a condenado à morte

O governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger negou comutar a pena de morte por prisão perpétua a Michael Morales, condenado pelo assassinato e estupro de uma jovem em 1981. Schwarzenegger disse que o arrependimento e a reabilitação expressados por Morales não o livram do crime que cometeu há 25 anos. A execução do condenado está prevista para depois da meia-noite de segunda-feira."Não há provas contundentes para que a pena estabelecida pelo júri não seja apropriada para o caso. Todos os tribunais mantiveram as resoluções do júri", disse o governador em comunicado.Salvo uma intervenção imprevista dos juízes, o preso, de 46 anos, será o terceiro executado na Califórnia desde dezembro.Uma testemunha disse aos júris que escutou Morales referir-se ao assassinato em espanhol, idioma que, segundo os advogados dele, o condenado não fala.O caso ganhou notoriedade porque na equipe de advogados está Kenneth Starr, o promotor que investigou o caso amoroso que o então presidente Bill Clinton manteve com a estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.