Schwarzenegger nega clemência a preso doente

O governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, negou ontem clemência a um condenado à morte que afirma ser muito velho e doente para ser executado.Clarence Ray Allen, de 75 anos, deverá receber uma injeção letal na próxima terça-feira, após ter sido condenado em 1982 por ordenar o assassinato de três pessoas enquanto cumpria uma condenação à prisão perpétua por outro homicídio.O autor desses assassinatos, Billy Ray Hamilton, espera também sua execução, ainda não marcada, nos corredores da morte do estado.O júri que condenou Allen "determinou razoavelmente que a prisão perpétua não era o castigo adequado para alguém que ordena assassinar testemunhas quando está cumprindo uma condenação de prisão perpétua", disse Schwarzenegger.Allen, que completará 76 anos na véspera de sua execução, está praticamente cego, anda numa cadeira de rodas e, no ano passado, sofreu um ataque cardíaco na prisão de San Quintin. Além disso, ele tem diabetes.Seus advogados afirmaram que, em seu caso, o castigo seria extraordinariamente cruel, algo proibido pela Constituição dos Estados Unidos. Mas esse argumento foi rejeitado sem explicações pela Corte Suprema da Califórnia, e Allen agora só pode ser salvo por uma intervenção do Supremo dos EUA.Caso isso não ocorra, ele se tornará o executado número 13 desde que o estado da Califórnia restabeleceu esta pena, em 1978.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.