Schwarzenegger quer reformar sistema de saúde na Califórnia

O governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, reafirmou na segunda-feira a necessidade de reformar o sistema de saúde do seu estado e também mandou corrigir as deficiências na aplicação da pena de morte, para não violar os direitos constitucionais dos condenados.Na opinião do governador republicano, a crise médica no estado não se limita aos mais de 6,5 milhões de californianos que não dispõem de um seguro médico. Ele anunciou sua preocupação também com milhões de pessoas que contam com cobertura, mas cujas despesas aumentam a cada ano.Pela lei, nenhuma sala de emergência no estado da Califórnia pode se negar a atender a um paciente. No entanto, a maioria dos usuários do serviço de saúde, inclusive muitos deles imigrantes ilegais, não dispõe de seguro médico, o que ocasiona prejuízos milionários para os hospitais. Para compensar o prejuízo, as famílias e pessoas com seguro de saúde pagam custos cada vez mais altos.O governador declarou que a meta em 2007 será resolver a crise médica. Entre as propostas em estudo estão novos regulamentos para os trabalhadores, redução de custo de serviços e remédios, e inclusive um novo sistema de saúde. Schwarzenegger não descarta incluir os imigrantes ilegais em seu plano de reforma, causando polêmica entre democratas e republicanos.Legisladores democratas propuseram a criação de um sistema de cobertura universal. Mas o governador se opõe à idéia.Pena de morteTrês dias depois de o juiz federal Jeremy Fogel ampliar a moratória sobre execuções no estado, em vigor desde fevereiro, Schwarzenegger anunciou também que começará o trabalho de selecionar e treinar os carrascos do estado.Além disso, vai melhorar o sistema de contabilidade, para dar transparência aos protocolos das execuções. Outra medida será melhorar os locais das execuções, com especialistas médicos que assessorem a aplicação das injeções letais."Estou comprometido a fazer o possível para que o processo seja constitucional, e que a pena de morte permaneça de pé na Califórnia", disse o governador em comunicado de imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.