Scotland Yard se declara inocente da morte de Jean Charles

A Polícia Metropolitana de Londres sedeclarou, nesta terça-feira, inocente das acusações apresentadas no julgamentosobre a morte do brasileiro Jean Charles de Menezes, assassinado a tirospor agentes que o confundiram com um terrorista. Numa audiência no tribunal de Westminster, em Londres,representantes da Scotland Yard negaram que a corporação policialtenha falhado nas normas de segurança. A Scotland Yard é acusada de violar as normas de segurança nolocal de trabalho no caso. Jean Charles morreu no dia 22 de julho de2005, na estação de metrô de Stockwell, no sul de Londres. A Polícia é acusada especificamente de não cumprir os artigos 3 e33 da Lei de Saúde e Segurança no Trabalho de 1974. O caso deve serlevado ao tribunal penal de Old Bailey, em Londres, em 2007. No dia 14 de agosto, o tribunal de Westminster concedeu à Políciabritânica uma prorrogação de várias semanas para preparar suaDefesa. Menezes morreu no dia seguinte aos atentados fracassados contra otransporte público na capital britânica. Após receber um relatório da Comissão Independente de Queixas àPolícia, encarregada de investigar o caso, a Procuradoria anunciouem julho que não havia provas suficientes para acusar agentes pelamorte do jovem. Por isso, decidiu acusar a Scotland Yard comoorganização por violação das normas de segurança. A família do brasileiro criticou a decisão de não processarnenhum dos agentes responsáveis pela morte de Menezes, quequalificou de "vergonhosa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.