Se eleito, Chávez promete referendo contra TVs privadas

Em comentários feitos na noite de quinta-feira, o presidente venezuelano, Hugo Chavez, disse que, caso seja reeleito nas eleições do próximo domingo, poderá apoiar a realização de um referendo com o objetivo de fechar redes de TV privadas acusadas de atividades subversivas. Os comentários vieram num momento em que crescem as tensões entre o governo e as redes de TV privadas, amplamente alinhadas com o candidato da oposição, Manuel Rosales. Chávez fez a declaração depois de ser perguntado se consideraria perguntar à nação sobre a possibilidade de proibir a renovação das licenças de transmissão de determinados canais. "É perfeitamente possível que o país dê sua opinião, inclusive em relação ao tempo" de duração dos contratos, disse Chávez.O presidente disse também que se arrepende de não ter fechado esses canais após o golpe contra ele em 2002. Ele citou quatro redes: a Globovision, Venevision, RCTV e Televen.Chávez tem um histórico de constantes embates com as redes de rádio e televisão venezuelanas, quase sempre críticas em relação ao seu governo. Durante o golpe de 2002, em que Chávez foi afastado do poder por algumas horas, vários canais de TV escolheram transmitir desenhos e filmes ao invés de mostrar seu retorno ao poder apoiado por militares fiéis ao governo e por um levante popular.Na reta final para as eleições de domingo, Chávez disse que poderá proibir a renovação das licenças desses canais, acusando-os de fomentar conspirações contra seu governo. Além disso, disse que poderia fechar as emissoras que tentarem atrapalhar as eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.