Seals tiveram de usar 'plano B' contra Bin Laden

Em nova versão da operação em Abbottabad, funcionários americanos dizem que agentes tiveram de abrir caminho em complexo para achar saudita

, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2011 | 00h00

O porta-aviões USS Carl Vinson, de onde corpo de Bin Laden foi atirado ao mar

 

WASHINGTON - Uma nova versão da operação especial americana que matou o líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, indica que os agentes do grupo de elite Seal 6 tiveram de abandonar a estratégia original para capturar o terrorista, após um dos helicópteros que os transportava cair no esconderijo do saudita, em Abbottabad, no Paquistão.

 

Veja também:

especialAs franquias da Al-Qaeda

especialA trajetória de Osama bin Laden

especialPasso a passo da caçada a Bin Laden 

De acordo com o relato de representantes do governo americano, o mais detalhado desde a morte de Bin Laden, o incidente pôs fim à esperança de um ataque-surpresa. Os agentes, que desembarcariam no teto da casa e no pátio, tiveram de abrir caminho pelo complexo explodindo portas e muros e levaram 15 minutos para encontrar o terrorista.

Cinco aeronaves decolaram de Jalalabad, no Afeganistão para a missão. Eram três helicópteros Chinook e dois Black Hawks modificados para ficarem mais silenciosos. A bordo deles havia 23 seals, um intérprete e um cão farejador. Dos 19 agentes que entrariam no complexo. 3 deveriam encontrar Bin Laden.

As coisas começaram a dar errado quando o primeiro helicóptero tentou sobrevoar o complexo. O clima quente fez o Black Hawk perder o controle. A cauda e o rotor se chocaram contra uma das paredes de 3,6m que cercam o a casa. O piloto agiu rapidamente e os seals conseguiram desembarcar em um pátio externo. A outra aeronave teve de deixar parte dos soldados do lado de fora do complexo.

Sem o elemento-surpresa, os seals usaram explosivos em paredes e portas. Eles se espalharam pelos três andares do complexo a partir do térreo e trocaram tiros com guarda-costas de Bin Laden. Eles atiraram contra três homens e uma mulher, que teria se jogado em sua direção.

Quando três dos agentes chegaram ao andar de cima, viram Bin Laden no fim do corredor e o reconheceram instantaneamente. O terrorista, então, fugiu agachado para dentro de seu quarto. Os três seals imaginaram que Bin Laden tivesse ido buscar uma arma, e foram atrás dele.

Havia duas mulheres na frente de Bin Laden. Elas gritaram e tentaram protegê-lo. O primeiro dos agentes agarrou as duas e as empurrou para longe, temendo que estivessem usando coletes de explosivos.

O segundo seal atirou no peito e na cabeça de Bin Laden. Após fotografarem o corpo, a equipe enviou a mensagem "Geronimo" - código para missão cumprida -para a Casa Branca. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.