Seca deixa 24 milhões sem água potável na China

O governo da China está prestando mais atenção a uma persistente seca no sudoeste do país, que já deixou 24 milhões de pessoas sem água potável, afirmou um alto funcionário do governo. Além disso, a situação não tende a melhorar até maio, quando começa a estação chuvosa, disse hoje Liu Ning, vice-ministro de Reservas Hídricas, ao Wall Street Journal.

AE, Agência Estado

31 de março de 2010 | 17h52

A seca, que alguns disseram ser a pior na China em um século, aumentou os temores de pressões inflacionárias, na medida em que a falta de água ameaça elevar os preços do arroz e de outros produtos agrícolas. Ela também atraiu a atenção de ambientalistas, que começam a se preocupar a respeito de qual extensão as enormes construções de hidrelétricas e de reservatórios contribuíram para as secas e a falta d''água.

"O desmatamento e a degradação ambiental geral da região enfraqueceram a capacidade de regular o abastecimento de água", disse Ma Jun, diretor do Instituto Público de Assuntos Ambientais, uma ONG em Pequim. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinasecaágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.