Reprodução/Nus_Ghani/Twitter
Reprodução/Nus_Ghani/Twitter

Secretária muçulmana faz história ao falar na tribuna do Parlamento britânico

Nus Ghani, parlamentar de ascendência paquistanesa, se tornou primeira mulher islamita a falar na tribuna do governo em Westminster; ela também foi a primeira muçulmana a obter posto na Câmara dos Comuns pelo Partido Conservador, em 2015

O Estado de S.Paulo

18 Janeiro 2018 | 15h17

LONDRES - A secretária de Estado do Ministério de Transporte, Nus Ghani, do Partido Conservador britânico, fez história nesta quinta-feira, 18, ao se tornar a primeira mulher muçulmana a falar na tribuna do governo no Parlamento de Westminster.

Londres rejeita novo referendo sobre a saída do Reino Unido da UE

Nus, que chegou ao cargo no Executivo no dia 9 de janeiro, utilizou seu discurso para responder a perguntas da oposição sobre a acessibilidade das estações de trem para pessoas com mobilidade reduzida.

Após sua participação, a secretária de Estado comemorou a conquista na sua conta do Twitter, onde a acompanharam outros membros da rede social que enfatizaram a relevância do momento, independentemente da ideologia política de cada um.

"Fiz minha estreia como secretária do Ministério de Transporte e escrevi uma pedacinho da história como a primeira secretária de Estado muçulmana a discursar na tribuna da Câmara dos Comuns", escreveu Nus.

A parlamentar, de ascendência paquistanesa, representa desde 2015 a circunscrição de Wealden, no sul da Inglaterra, e foi também a primeira mulher muçulmana a obter um posto na Câmara como membro da formação conservadora.

O ministro de Transporte, Chris Grayling, declarou à imprensa que sente "orgulho" de poder trabalhar com Nus e comentou que a ocasião evidencia, uma vez mais, que o Partido Conservador é "um partido de oportunidades".

Para retomar fôlego, Theresa May reforma ministério no Reino Unido

Pelo Twitter, a primeira-ministra britânica, Theresa May, também parabenizou Nus pelo feito. "De fato, foi um momento histórico e em um cargo que não tenho dúvidas que você prosperará", escreveu May.

Os "tories" se serviram deste marco para lembrar o eleitorado que a primeira mulher a chegar ao cargo de primeira-ministra no Reino Unido, Margaret Thatcher, conseguiu isso dentro da legenda.

Alguns deputados do partido liderado por May, a atual chefe do governo, rebateram com isso as vozes críticas que acusam os conservadores de serem incapaz de oferecer oportunidades e representação para mulheres, jovens e minorias. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.