Secretário da Defesa dos EUA Donald Rumsfeld renuncia

Após seis anos conturbados à frente do Pentágono, o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Donald H. Rumsfeld, pediu sua renúncia nesta quarta-feira. Um dos principais arquitetos da impopular guerra do Iraque, o secretário teve sua saída confirmada na primeira coletiva de imprensa concedida pelo presidente George W. Bush após as eleições para o Congresso desta terça-feira. No pleito, o Partido Republicano - do qual Bush e Rumsfeld fazem parte - sofreu reveses significativos, em grande parte devido à oposição da opinião pública às políticas da administração para a guerra do Iraque. Durante seu pronunciamento, Bush anunciou que o ex-chefe da CIA Robert Gates ocupará o cargo. Questionado se a mudança implicaria em uma mudança de direção em uma guerra que já tirou a vida de 2.800 soldados americanos, Bush foi evasivo: ?Bem, certamente termos uma nova liderança no Pentágono.? O presidente revelou ainda que se reuniu com Gates em seu rancho em Crawford, no Texas, neste domingo. O novo secretário da Defesa liderou a CIA entre 1991 e 1993, durante o governo de George Bush, pai do atual presidente. Bush, que agradeceu "profundamente" a Rumsfeld pelos serviços prestados, o classificou como um líder "sólido e firme", e disse que ele foi um secretário de Defesa "grandioso durante um período de mudanças". O presidente lembrou reiteradamente que tanto ele como Rumsfeld concordavam na necessidade de "renovar" o Pentágono e dar "uma perspectiva nova" à guerra do Iraque. "Rumsfed e eu considerávamos que era necessário um novo rosto à frente do Pentágono e da guerra do Iraque", admitiu o presidente. Na semana passada, em declarações à imprensa, Bush insistira em que tanto Rumsfeld como o vice-presidente, Dick Cheney, permaneceriam em seus cargos até o final de seu mandato, em janeiro de 2009. Mas, independentemente da confiança que Bush tenha expressado em Rumsfeld, o apoio ao gabinete presidencial erodiu significativamente com a virada democrata no Congresso. Em seu primeiro pronunciamento público após a vitória democrata nas eleições de terça-feira, a provável nova presidente da Câmara dos Representantes (deputados) Nancy Pelosi, eleita pela Califórnia, disse que Bush deveria trocar a liderança civil no Pentágono. Rumsfeld, de 74 anos, está em seu segundo mandato à frente da Secretaria da Defesa. Em sua primeira passagem pelo cargo, ele havia sido apontado pelo presidente Gerald Ford. Apesar do anúncio, o Pentágono ainda não apresentou uma data para a saída de Rumsfeld. Amigo familiar Já Gates, de 63 anos, servia como presidente da Universidade A&M do Texas desde 2002. Ele também foi reitor da Escola de Governo e Serviço Público George Bush entre 1999 e 2001. Ele é um amigo próximo da família do presidente, e, em particular, de Bush pai. O presidente Bush disse ainda que não tinha anunciado antes a renúncia de Rumsfeld porque "não queria apresentar publicamente uma decisão de tanta envergadura na etapa final de uma campanha eleitoral". ?Quis tomar a decisão correta, sobre as pessoas, a estratégia e o local adequado", afirmou Bush. O presidente também criticou os democratas por suas manifestações públicas contra a administração da guerra. "Eu também quero sair d Iraque, mas com uma vitória", disse Bush, acrescentando que deseja que os soldados retornem, mas tendo vencido o conflito.

Agencia Estado,

08 Novembro 2006 | 16h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.