Secretário da ONU condena ataque israelense em Gaza

O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, condenou Israel por um ataque aéreo contra um líder do grupo islâmico Hamas. A agressão causou a morte de um pedestre e um segurança. Na opinião de Annan, a ação militar complica os esforços do primeiro-ministro palestino, Mahmoud Abbas, para acabar com a violência, uma das exigências do roteiro para a paz elaborado pelo Quarteto, um grupo de mediadores composto por Estados Unidos, Rússia, União Européia (UE) e ONU.Abdel Aziz Rantisi, um líder do Hamas, ficou ferido na ação, assim como seu filho, três de seus seguranças e 22 pedestres, três deles em estado grave. Annan pediu ao Exército do Estado judeu que "renuncie ao uso desproporcional da força, principalmente em áreas densamente povoadas", como é o caso de Gaza, disse Fred Eckhard, porta-voz do secretário-geral da ONU."Os israelenses e os palestinos têm pela frente uma escolha a fazer. Ou eles seguem o roteiro que leva ao estabelecimento de dois Estados - Israel e Palestina - vivendo lado a lado em paz e segurança, ou entram numa via complicada, cheia de curvas, que leva a um ciclo sem fim de violência e vingança", disse o porta-voz, ao ler uma declaração assinada por Annan.O secretário-geral da ONU pediu a israelenses e palestinos que mostrem coragem e contenção para implementarem o plano de paz.A ação israelense contra Rantisi também foi condenada pelo governo da Grã-Bretanha. Segundo a chancelaria britânica, o ataque ameaça a implementação do roteiro para paz. Londres exigiu do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que critique pessoalmente Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.