Secretário da ONU pede moderação ao governo chinês no Tibet

O secretário-geral da ONU, Ban KiMoon, disse na segunda-feira que sua "preocupação é crescente"quanto às notícias de violência e morte no Tibet. "A esta altura, exijo moderação por parte das autoridades epeço a todos que evitem mais confrontos e violência", disse Bana repórteres no quartel-general da ONU em Nova York. Estudantes tibetanos acenderam velas e fizeram uma vigíliaem Pequim na segunda-feira, dizendo que rezavam pelos mortos,horas antes do prazo final dado pelo governo chinês aosinsurgentes para se entregarem. A China mandou tropas para reforçar o controle sobre aregião de Lhasa (capital do Tibet) e insistiu que os protestosviolentos dos tibetanos foram organizados por seguidores doDalai Lama que querem arruinar os Jogos Olímpicos de agosto. O Dalai Lama, líder espiritual do Tibet, negou a acusação. Quando indagado sobre se a ONU devia atuar na crise e fazeruma investigação independente, Ban disse que estavaacompanhando de perto a situação, e acrescentou: "Ainda vamosresponder a vocês". Ele disse que não tinha números exatos de baixas narevolta. "Eu me reuni com o embaixador chinês nesta manhã e discutiesta questão. Transmiti a minha preocupação e o meu ponto devista ao governo chinês", disse. "É crescente a minha preocupação com a tensão e os relatosde violência e morte no Tibet e arredores", disse ele,acrescentando que ressaltou a importância de um desfechopacífico. (Reportagem de Claudia Parsons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.