Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Secretário de Justiça dos EUA conversou com embaixador russo durante campanha de Trump

Segundo o 'Washington Post', Jeff Sessions não revelou ter tido as conversas em sua sabatina no Senado, quando foi questionado se 'alguém afiliado' à campanha teve contato com os russos; democratas pedem renúncia do republicano, que nega as acusações

O Estado de S.Paulo

02 de março de 2017 | 04h16

WASHINGTON - O secretário de Justiça americano, Jeff Sessions, conversou duas vezes com o embaixador da Rússia nos EUA, Serguei Kislyak, durante a campanha vitoriosa de Donald Trump à presidência.

Sessions, assessor de Trump desde as prévias republicanas, não revelou ter tido estas conversas em sua sabatina no Senado, em janeiro, quando foi questionado se "alguém afiliado" à campanha teve contato com os russos.

A porta-voz do Departamento de Justiça, Sarah Isgur Flores, disse que "não havia nada de absolutamente enganoso na resposta de Sessions". "Durante a sabatina, foi perguntado ao secretário se havia ocorrido comunicações entre a Rússia e a campanha de Trump. Não perguntaram sobre as reuniões que ele teve enquanto senador e membro da Comissão para as Forças Armadas", afirmou.

O posicionamento não satisfez os democratas, que desde antes julgavam Sessions inadequado para o cargo que ocupa. As revelações sobre os contatos, que foram reportadas primeiro pelo jornal The Washington Post, desataram pedidos dos legisladores para que Sessions se afaste por completo das investigações do FBI e do cargo que ocupa.

A líder da minoria democrata na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, acusou Sessions de "mentir sob juramento" e pediu sua demissão. "Agora, depois de mentir sob juramento ao Congresso sobre suas próprias comunicações com os russos, o secretário de Justiça deve renunciar", disse ela em nota. "Sessions não está apto a servir como a maior autoridade da lei de nosso país."

Outros democratas exigiram que se aprofundem as investigações.

Em um comunicado divulgado na quarta-feira, Sessions disse que nunca se reuniu "com nenhum funcionário russo para discutir temas de campanha". "Não tenho ideia de que trata esta acusação. É falsa."

Contato. Sessions se reuniu em 2016 com mais de 25 embaixadores estrangeiros quando era membro do Comitê do Senado para as Forças Armadas. No encontro, ele manteve conversas com Serguei Kislyak, de acordo com o Departamento de Justiça.

Um dos contatos foi em uma visita ao seu escritório no final do ano e outra em uma reunião grupal com outros embaixadores após um discursos de Sessions na Heritage Foundation, no meio de 2016.

A Casa Branca não comentou o caso. / ASSOCIATED PRESS e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.