AFP PHOTO / Daniel LEAL-OLIVAS
AFP PHOTO / Daniel LEAL-OLIVAS

Secretário do 'Brexit' renuncia ao cargo no Reino Unido

Em carta de demissão, eurocético David Davis criticou proposta apresentada pelo governo de Theresa May para a criação de um mercado comum com a União Europeia

O Estado de S.Paulo

09 Julho 2018 | 02h25

LONDRES - O secretário britânico do Brexit, David Davis, responsável pelas negociações do Reino Unido com a União Europeia, renunciou neste domingo, 8. Em carta à primeira-ministra Theresa May, o político criticou as condutas adotadas pelo governo nas conversas com o bloco europeu. 

+ May propõe área de livre-comércio à União Europeia

"A direção geral da política nos deixará, no melhor dos cenários, em uma posição frágil de negociação", disse Davis, em carta à May. Na última sexta-feira, 6,  o governo britâico fechou um acordo sobre a futura relação do país com a União Europeia, contemplando a criação de um mercado comum, algo criticado por Davis, que considera a medida uma "entrega à União Europeia do controle de amplos setores da economia britânica".

Em resposta, May afirmou que o mercado comum "significará um retorno de poderes de Bruxelas ao Reino Unido" e que a medida está de acordo com as políticas do governo de abandonar o mercado único europeu e a união aduaneira entre os países do bloco. "Gostaria de lhe agradecer sinceramente por todo o trabalho feito nos últimos anos como secretário nas negociações da saída da União Europeia", respondeu May ao pedido de demissão.

+ Congestionamentos podem ser pesadelo para o Brexit

O governo tinha planos de anunciar a proposta do mercado comum nesta segunda-feira ao parlamento britânico. A medida é reprovada por deputados conservadores que compõem um grupo a favor de um "Brexit" mais duro, com uma ruptura clara com o bloco europeu. Empresários também temem que a proposta provocará prejuízos aos negócios mantidos nos países europeus. Ainda é incerto se Bruxelas aceitará a proposta de May.

Eurocético de longa data, Davis foi designado para dirigir o Departamento para a Saída da União Europeia, criado logo após os resultados do plebiscito que determinou a saída do país do bloco europeu. Desde então, se tornou o rosto das negociações do Brexit, liderando as delegações britânicas nas negociações realizadas em Bruxelas. Nos últimos meses, seu papel foi se tornando menor a medida que May assumiu um papel maior nas conversas com a União Europeia. 

+ Ministro do Brexit diz que fará regras para saída da UE 'sob qualquer cenário'

Nos bastidores, Davis ameaçava pedir demissão diversas vezes por discordar das propostas levadas pelo governo britânico à mesa de negociações em Bruxelas. Em público, no entanto, se mantinha leal à May.

Câmara dos Comuns

Embora Davis não tenha feito por enquanto nenhuma declaração oficial sobre sua renúncia, vários deputados conservadores da ala dura louvaram a decisão, entre eles Peter Bone, que disse pelas redes sociais que ele "fez o certo, uma decisão valente e de princípios".

+ Após meses de debates, lei sobre saída do Reino Unido da UE é promulgada

"Uma notícia fantástica. Muito bem David Davis por ter os princípios e a coragem de renunciar. Tiro o chapéu para você. Temos que nos assegurar de que isto mude o curso do Brexit'", afirmou a deputada Andrea Jenkyns.

A deputada trabalhista Seema Malhotra, membro da comissão do "Brexit" na Câmara dos Comuns, se perguntou se não poderia acontecer agora um "efeito dominó": "não seria concebível que May fosse embora em poucos dias ou semanas, que os 'tories' afundassem no caos e se convocassem eleições gerais?". //AFP, EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.