Secretário envolvido em denúncias nos Estados Unidos pede demissão

Eric Shinseki, secretário de Assuntos de Veteranos, deixa o cargo após denúncias sobre atrasos no atendimento médico a militares

O Estado de S. Paulo

31 Maio 2014 | 06h00

WASHINGTON - O secretário americano de Assuntos de Veteranos, Eric Shinseki, pediu demissão na sexta-feira, 30, ao presidente Barack Obama em razão de denúncias sobre atraso no atendimento médico a militares.

Obama disse que aceitou a demissão “com considerável tristeza” depois que os dois se reunirem em Washington para revisar as conclusões de uma auditoria sobre abusos na marcação de consultas em instalações da secretaria em todo o país.

A auditoria revelou que o tempo de espera para consultas foi informado com erro pelo menos uma vez em 60% dos 216 sites pesquisados. Também mostrou que, com o aumento da demanda por serviços, a meta de 14 dias para consultas médicas instituída sob Shinseki não era possível de ser alcançada e deveria ser descartada.

No começo da semana, o inspetor-geral da secretaria divulgou um relatório que confirmava acusações de que as equipes de uma instalação em Phoenix haviam mascarado tempos de espera de meses para alcançar a meta de duas semanas, para obter prêmios e bônus.

Nos últimos dias, os pedidos para que Shinseki fosse demitido aumentaram. Políticos democratas e republicanos disseram que era hora de um novo líder na secretaria.

Obama elogiou carreira militar e as realizações de Shinseki em outras áreas da secretaria, como a redução do número de veteranos sem-teto. No entanto, falou que o general do Exército aposentado, de 71 anos, disse que “não queria ser um obstáculo” para a correção de problemas da secretaria.

Obama disse que Sloan Gibson, vice-secretário de Assuntos de Veteranos, assumiria o comando em caráter interino, enquanto ele procuraria “rapidamente” um novo secretário permanente. Gibson, um veterano do Exército e ex-banqueiro, se juntou à secretaria há apenas três meses.

Não ficou claro se Gibson é candidato ao cargo. Outros nomes mencionados como possíveis sucessores de Shinseki incluem o ex-chefe do Estado-Maior Ray Odierno, o ex-senador Jim Webb, e a deputada Tammy Duckworth, que perdeu as duas pernas no Iraque em um acidente de helicóptero. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.