Secretário-geral da ONU faz visita inesperada ao Iraque

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, estava no Iraque para negociar com autoridades do país na sexta-feira, quase uma semana depois do país realizar sua eleição mais pacífica desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, informaram autoridades. A visita surpresa de Ban acontece depois de uma viagem ao Afeganistão, outro campo de batalha da guerra ao terrorismo dos Estados Unidos, lançada pelo ex-presidente norte-americano, George W. Bush, após os ataques de 11 de setembro de 2001. Ban também foi à Índia e ao Paquistão. Ban deve encontrar autoridades iraquianas para discutir a eleição provincial do último sábado e outras questões, num momento em que o Iraque começa a emergir de anos de violência sectária. A ONU opera sob forte segurança e mantém relativa discrição no Iraque, um legado do ataque com caminhão-bomba que destruiu a sede da entidade em Bagdá em agosto de 2003, e matou o então enviado da ONU, o brasileiro Sergio Vieira de Mello e outros funcionários da entidade. Mas a ONU ajudou a organizar as eleições locais de 31 de janeiro, que não registrou sequer um grande ataque de militantes em qualquer ponto do país. Resultados preliminares divulgados na quinta-feira mostraram ganhos espetaculares conquistados pelos aliados do primeiro-ministro Nuri al-Maliki em todo a região sul, de predominância xiita, do país. Em outras partes do Iraque, que já foram dominadas pelos sunitas que boicotaram as eleições locais de 2005, reconquistaram poder político em áreas onde sua exclusão da vida política gerou ressentimento e violência. (Reportagem de Missy Ryan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.