Secretário-geral da ONU pede fim à violência no Egito

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, fez um apelo contra a onda de violência no Egito, e pediu fim aos protestos, citando o "uso excessivo da força" em alguns casos.

AE-DJ, Agência Estado

17 de agosto de 2013 | 20h37

"Ele considera inaceitável e condena fortemente todos os ataques a igrejas, hospitais e outras instalações públicas", disse em comunicado um porta-voz de Ban Ki-moon. "Não há justificativa para a destruição da infraestrutura e de propriedades que são tão importantes para o futuro do Egito", complementou.

Neste sábado, a polícia egípcia invadiu uma mesquita no Cairo,após dispararem contra homens armados que atiravam de um minarete, cercando centenas de simpatizantes do presidente deposto Mohammed Morsi que se refugiaram no local. O número de mortos ultrapassou 750 em quatro dias de confrontos.

De acordo com o porta-voz de Ban Ki-moon a prioridade dos egípcios neste momento perigoso deve ser a prevenção contra a perda de mais vidas.

"O secretário apela para as autoridades e para os líderes políticos para que adotem um plano para conter a violência e retomar o processo político que foi substituído pela violência." As informações são da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ban Ki-moonONUEgitoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.