Secretário-geral da ONU pede libertação de repórter da BBC

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se juntou aos apelos pela libertação do jornalista britânico Alan Johnston, correspondente da BBC que desapareceu há um mês na Faixa de Gaza.Ban Ki-moon disse que a liberdade de imprensa deveria ser protegida "por uma questão de princípios"."Sinceramente, espero que os responsáveis por seu seqüestro o libertem incondicionalmente e imediatamente. Farei tudo o que puder, como secretário-geral, mas minha simpatia está com a família de Alan Johnston", afirmou em Nova York, o secretário-geral da ONU.No dia internacional de ação pela libertação do jornalista, os pais de Alan Johnston também fizeram um apelo para que os responsáveis pelo desaparecimento de seu filho libertem o correspondente."Vocês têm família. Por favor, pensem no que esta situação está causando à minha família", disse o pai, Graham Johnston, lendo uma carta aberta durante entrevista coletiva em Londres. "Por favor, soltem o meu filho agora, hoje."As principais emissoras de notícias do mundo transmitiram nesta quinta-feira um programa conjunto para marcar um mês do desaparecimento do jornalista.O programa foi apresentado ao vivo pela BBC a partir de Ramallah, na Cisjordânia, com intervenções de jornalistas da Sky News, da CNN e da Al-Jazeera.ImpactoRichard Porter, chefe de jornalismo da BBC World, disse que a emissora quer criar um programa que tenha impacto no Oriente Médio e no resto do mundo.Cartazes da campanha da BBC pela libertação de Johnston foram mostrados ao público em locais famosos de Londres e na Escócia, onde o jornalista nasceu.O pai de Alan Johnston, Graham, também leu uma mensagem para o filho em que pede que ele não se preocupe com a família.Graham Johnston agradeceu à BBC, a jornalistas e ao povo palestino pelo apoio."Estamos muito contentes com esse apoio, que nos ajudou a permanecer firmes nestas intermináveis quatro semanas", afirmou.No centro de Londres, em Trafalgar Square, a ONG Repórteres Sem Fronteiras fez uma manifestação pela libertação de Johnston.Na Cidade de Gaza, cerca de 200 jornalistas palestinos se reuniram nos gabinetes do governo e dos órgãos de segurança para exigir mais ação para a libertação do colega.Na manhã desta quinta-feira, o diretor-geral da BBC, Mark Thompson, fez um apelo direto pela libertação de Johnston, também a partir de Ramallah."Eu me encontrei ontem com o presidente palestino Mahmoud Abbas e ele me garantiu que tem informações de que Alan está bem", disse Thompson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.