REUTERS/Lucas Jackson
REUTERS/Lucas Jackson

Secretário-geral da ONU reforça oferta para mediar crise na Venezuela

Antonio Guterres se reuniu com o ministro das Relações Exteriores venezuelano em Nova York nesta segunda-feira, 12

Redação, O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2019 | 02h54

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, reforçou nesta segunda-feira, 12, sua oferta para ajudar a mediar o fim da crise na Venezuela durante negociações com o ministro das Relações Exteriores do país, Jorge Arreaza. 

Guterres encontrou-se com o venezuelano em Nova York, a pedido de Caracas, no momento em que o impasse entre o presidente Nicolás Maduro e o autoproclamado presidente interino Juan Guaidó se intensifica. 

As Nações Unidas pediram negociações políticas sérias entre os dois lados para evitar ainda mais violência. 

"O secretário-geral reafirmou que sua oferta de bons ofícios para ambas as partes permanece disponível para negociações sérias para ajudar o país a sair do atual impasse em benefício do povo da Venezuela", disse o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric. 

Guaidó se autodeclarou presidente interino no mês passado e, desde então, foi reconhecido por cerca de 50 países, incluindo os Estados Unidos e Brasil. A Rússia e a China, no entanto, continuam apoiando Maduro, assim como alguns países africanos, criando uma divisão global que deixou a ONU em um dilema. 

Na semana passada, o chefe da ONU disse que não participaria de nenhuma iniciativa promovida por grupos de nações para garantir a credibilidade de sua oferta de "bons ofícios". 

Guterres insistiu em que ambos os lados devem solicitar sua mediação antes que ele possa entrar na disputa. 

Diplomatas da ONU disseram que o governo de Maduro estava pronto para manter conversações, mas não ficou claro se Guaidó aceitaria um papel das Nações Unidas na disputa. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.