Secretário-geral de partido governista alemão renuncia

O secretário-geral do Partido Liberal Democrata (FDP, pela sigla em alemão) da Alemanha, Christian Lindner, de 32 anos, pediu demissão do posto, após o partido registrar números ruins em pesquisas de opinião. O FDP é parte da coalizão de governo de centro-direita da chanceler Angela Merkel, chefiado pelo partido da premiê, a União Democrática Cristã (CDU, na sigla em alemão). A chanceler alemã disse que a demissão de Lindner não afetará a coalizão de governo na Alemanha.

AE, Agência Estado

14 de dezembro de 2011 | 16h11

O secretário-geral é responsável pela estratégia política do dia a dia do partido. Não há ainda informações sobre a razão da saída de Lindner. Segundo ele, a renúncia ocorreu para que o líder do partido, o vice-chanceler Philipp Roesler, possa tornar as eleições gerais de 2013 na Alemanha "um sucesso para o FDP". Tanto o FDP quanto a CDU foram derrotados nas eleições regionais alemãs neste ano pela oposição de centro-esquerda do Partido Social-Democrata (SPD), na maioria dos estados onde ocorreram sufrágios.

O FDP mudou de liderança no ano passado. Em uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira, aparecia apenas com 3% das intenções de votos, em comparação com os 15% que havia registrado nas últimas eleições alemãs, em 2009. Nesta semana, o partido sofreu com uma eleição interna disputada, quando rebeldes pediam que a sigla deixasse de apoiar o fundo de resgate permanente da zona do euro. O fundo de ? 500 bilhões (US$ 659 bilhões) começará a funcionar em 2012.

O FDP tem debatido há bastante tempo a crise da dívida na zona do euro. A votação interna no FDP aconteceu na noite da terça-feira e seus resultados deverão ser divulgados até sexta-feira. Roesler, contudo, já havia admitido no domingo que não existia coesão interna suficiente para apoiar ou deixar de apoiar o fundo de resgate à zona do euro.

Merkel afirmou que o governo do país continuará trabalhando normalmente mesmo depois de Lindner ter renunciado inesperadamente.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.