Sede da Agip na Nigéria é invadida e 11 morrem

Onze pessoas morreram nesta terça-feira em um ataque feito por um grupo de homens uniformizados e fortemente armados contra uma base operacional da companhia petrolífera italiana Agip, em Port Harcourt, sudeste da Nigéria, segundo fontes oficiais.O ataque foi confirmado pelo chefe da Polícia local, comissário Samuel Adetuyi, que não forneceu maiores detalhes.Segundo testemunhas, as instalações da Agip foram atacadas por cerca de 30 homens vestidos em uniformes de combate da polícia nigeriana e armados com fuzis AK-47, que chegaram em dois botes a motor à base operacional, situada nas margens de um rio.Os atacantes assaltaram os escritórios da Agip, onde mataram um dos funcionários. Após um intenso tiroteio com os seguranças da multinacional eles deixaram o local carregando duas bolsas com dinheiro de um banco que funciona no complexo industrial.Porta-vozes da Agip confirmaram que aconteceu um "incidente com armas" em Port Harcourt, no centro de processamento de petróleo do sudeste nigeriano, mas também evitaram fornecer maiores detalhes.O assalto aconteceu pouco depois de militantes terem anunciado que intensificariam seus ataques contra instalações de multinacionais petrolíferas na região.Apesar de a Nigéria ser o sexto produtor de petróleo entre os países que integram a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), com extração diária de 2,5 milhões de barris em média, sua população vive em condições de extrema pobreza.A situação provoca constantes enfrentamentos entre as etnias locais e as companhias petrolíferas, que são acusadas pelas tribos de explorar os recursos da região sem fornecer uma compensação financeira adequada.Os grupos tribais chegam a interromper a produção sabotando as instalações e oleodutos e seqüestrando os trabalhadores petrolíferos para obter concessões das multinacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.