Ségolène busca apoio de Bayrou para vencer segundo turno

A candidata socialista que alcançou o segundo turno da disputa à Presidência francesa, Ségolène Royal, disse nesta segunda-feira, 23, que está "disponível" para um diálogo aberto e público com o candidato François Bayrou, além de ter deixado uma mensagem no celular dele sobre o assunto.O candidato centrista, que não conseguiu avançar na disputa, tem papel crucial nesta disputa. No segundo turno, agora dividido entre direita, do candidato conservador Nicolas Sarkozy, e esquerda, de Ségolène, os eleitores de Bayrou podem decidir quem assume o Palácio do Eliseu no próximo mandato.Ségolène havia ignorado propostas de Bayrou por uma aliança, antes do primeiro round do pleito. Agora ela busca "convergências" de idéias com o candidato para o segundo turno, esperando uma "resposta" para a mensagem que deixou.Bayrou recebeu em torno de 6,8 milhões de votos (18,57%), o que lhe consagra como o "terceiro homem" desta campanha e lhe situa como árbitro do duelo entre Sarkozy e Royal."Por enquanto, não se trata de uma aliança", disse a candidata socialista. A campanha de Royal demorou para decolar, com problemas de planejamento e gafes. Mas, se ela conseguir vencer, será por conta de sua própria determinação, e não devido à ajuda dos veteranos socialistas, os chamados "elefantes". Embora quatro pesquisas tenham dito na noite de domingo que Sarkozy ganhará o segundo turno, Royal disse a repórteres que ainda tem chance. "É factível", afirmou.Bayrou deve se pronunciar na quarta-feira sobre uma eventual aliança, mas já advertiu que não cairá na "velha guerra de dois campos" políticos.Alianças A maioria dos franceses que votaram no centrista François Bayrou e no ultradireitista Jean-Marie Le Pen no primeiro turno das eleições presidenciais francesas apoiarão oconservador Nicolas Sarkozy no segundo turno, que será realizado no próximo dia 6 de maio.Segundo uma pesquisa do instituto Ifop publicada nesta segunda-feira, Sarkozy ficará com 54% dos votos de Bayrou, e 83% dos de Le Pen, que ficaram em terceiro e quarto lugar, respectivamente, no primeiro turno. A candidata socialista Ségolène Royal deve angariar o apoio dos outros eleitores.Apesar do principal alvo da socialista serem os eleitores de Bayrou, o partido do centrista tradicionalmente alinhe-se ao de Sarkozy, o UMP, mas especialistas dizem que muitos dos eleitores dele tinham tendência para a esquerda. Um dos maiores problemas é que os outros seis candidatos de esquerda tiveram juntos menos de 11% dos votos, o que dá à presidenciável uma reserva de votos pequena para o segundo turno de 6 de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.