Seguidores do Hezbollah vão festejar vitória sobre Israel

Milhares de apoiadores do partido xiitaHezbollah chegaram nesta sexta-feira a Beirute, procedentes de várias regiõeslibanesas, para assistir esta tarde nos bairros do sul da capital aocomício de celebração da "vitória" sobre Israel. Em ônibus, em carros ou a pé, os libaneses foram se aproximandodo local onde será celebrado o "Festival da Vitória", enquantolevavam bandeiras do Hezbollah e fotos do chefe do grupo, o xequeHassan Nasrallah. Nasrallah, que rejeita o desarmamento da organização, convidou oslibaneses a se reunirem nos bairros do sul, devastados durante aofensiva israelense, que durou 34 dias - de 12 de julho a 14 deagosto -, para comemorara a "sagrada vitória frente os sionistas". Apesar das milhares de vítimas, da destruição dasinfra-estruturas e dos numerosos danos materiais que o conflitocausou no Líbano, o Hezbollah se considera vencedor porque, segundo ogrupo, Tel-Aviv fracassou em seus planos de destruir o aparatomilitar da milícia xiita. "Será o maior plebiscito sobre a opção da resistência", afirmou atelevisão Al-Manar, vinculada ao Hezbollah. O deputado do Hezbollah Nahuar Sahli não descartou que até ummilhão de pessoas possam se reunir em Dahía, como os bairros do sulsão conhecidos. "Será magnífico e será uma das maiores concentraçõesda história do Líbano", acrescentou. O espírito festivo desta manifestação começou na véspera, quandoos partidários do Hezbollah começaram a se reunir e a formar grupospara viajar até Beirute. A maioria dos participantes veste camisetas amarelas, cor doHezbollah, outros estão com camisas brancas com a foto de Nasrallah, etodos levam o retrato do líder e a bandeira do grupo xiita. Ainda não se sabe com certeza se Nasrallah estará no comício, masSahli disse que, "a princípio, ele estará lá". Se Nasrallah participar do ato, esta será a primeira vez queaparecerá em público desde 12 de julho, quando começou a ofensivamilitar israelense contra o Líbano. "Seu discurso poderá marcar um giro político", escreveu hoje ojornal L´Orient-Le Jour, que assegurou que as palavras deNasrallah possivelmente descreverão "a seguinte fase política", ereiterarão seu compromisso com a resistência e o não abandono dasarmas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.