Segunda visita de inspetores de armas químicas da ONU na Síria é adiada

Ministro das Relações Exteriores alega falta de garantia de segurança por parte dos rebeldes

Reuters

27 de agosto de 2013 | 08h19

O ministro das Relações Exteriores sírio, Walid Moualem, disse que o segundo dia de trabalho de uma equipe de inspeção da ONU foi adiado para quarta-feira devido a divergências entre os rebeldes sobre medidas adicionais de segurança.

O chanceler também rejeitou a acusação do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, de que o governo do presidente Bashar al-Assad estaria obstruindo o trabalho da equipe da ONU.

Um carro com inspetores de armas químicas da Organização das Nações Unidas foi alvejado por franco-atiradores na segunda-feira, quando eles se dirigiam a subúrbios de Damasco supostamente atacados com armas químicas.

A oposição síria diz que centenas de pessoas morreram enquanto dormiam, na madrugada de quarta-feira, por causa de um ataque com armas químicas realizado por forças oficiais. O governo de Assad nega ter cometido o massacre e, no domingo, autorizou a visita de inspetores da ONU ao local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.