Segundo advogado, Saddam continua em greve de fome

Contrariando informações de que Saddam Hussein teria encerrado uma greve de fome iniciada na quarta-feira, o chefe do comitê de defesa do ex-ditador iraquiano, o jordaniano Khalil al-Dulaimi, disse nesta sexta-feira que seu cliente e sete de seus ex-colaboradores continuam com o protesto pelo terceiro dia consecutivo. Segundo informações atribuídas aos responsáveis americanos pela custódia do líder iraquiano preso, Saddam teria encerrado sua greve de fome já na noite de quinta-feira. Ainda de acordo com as fontes militares, o protesto teria durado apenas uma refeição - o almoço da quinta-feira. O advogado de Saddam considerou "infundadas" as informações divulgadas pela imprensa. "O presidente me disse nesta quinta-feira que vai continuar em greve de fome até que sejam detidos os assassinos do advogado e a equipe de defesa receba uma proteção adequada", acrescentou.O ex-ditador e seus ex-assessores se declararam em greve de fome na quarta-feira, após o seqüestro e assassinato em Bagdá do advogado iraquiano Khamis Al-Obaidi.Obaidi é o terceiro membro do comitê assassinado desde o começo do julgamento em outubro. Os oito réus são processados pela execução de 148 xiitas em 1983, que fizeram uma tentativa de assassinar Saddam.O comitê é formado por cerca de 20 advogados árabes e estrangeiros. Entre eles estão os ex-ministros de Justiça dos EUA (Ramse Clark) e do Qatar (Najib Nuaimi), além do ex-ministro de Relações Exteriores francês Roland Dumas. A equipe deve apresentar sua alegação no dia 10 de julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.