Segundo evidências, voo MH17 foi derrubado por rebeldes, diz Cameron

Premiê britânico afirmou que separatistas pró-Rússia usaram míssil terra-ar e pediu que o presidente Putin colabore para fim da crise

O Estado de S. Paulo

21 Julho 2014 | 12h31

 LONDRES - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou nesta segunda-feira, 21, que evidências mostram que o voo MH17 da Malaysia Airlines, que caiu na quinta-feira na Ucrânia, foi derrubado por separatistas pró-Rússia que usaram um míssil terra-ar.

Cameron condenou o comportamento da Rússia e afirmou que o presidente Vladimir Putin precisa colaborar para o fim da crise ucraniana. "Putin deve usar sua influência para encerrar o conflito na Ucrânia impedindo o envio de suprimentos e treinamento dos separatistas".

O premiê ressaltou que a União Europeia deve considerar aplicar sanções econômicas "mais duras" contra a Rússia, caso Moscou não mude o rumo sobre a Ucrânia. "Os países do bloco não deveriam mais vender equipamentos militares à Rússia após essa crise."

"A Rússia não pode esperar ter acesso ao mercado europeu, seu dinheiro e conhecimento técnico, enquanto continua abastecendo o conflito ucraniano", acrescentou Cameron. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.