Segundo turno de pleito presidencial na Guiné é adiado

O chefe de comunicação da Comissão Eleitoral Nacional Independente da Guiné, Thierno Ceydou Bayo, disse que o segundo turno da eleição presidencial que seria realizada no próximo domingo será adiada por pelo menos duas semanas. "Ainda não decidimos sobre uma nova data", disse.

AE-AP, Agência Estado

16 de setembro de 2010 | 14h21

O adiamento deve elevar as tensões na capital Conakry, onde a campanha foi temporariamente suspensa após violentos confrontos entre partidários de agremiações políticas rivais. Para que a eleição seja suspensa, o general do Exército a cargo de supervisionar a transição para um governo civil deve assinar um decreto. Mas o general Sekouba Konate ainda não emitiu a ordem, embora tenha deixado implícito em declarações feitas à televisão que a eleição não poderá ser realizada no domingo.

O candidato que lidera as pesquisas, Cellou Dalein Diallo, acusou o governo de adiar propositadamente a eleição para dar a seu rival uma chance de subir nas pesquisas. Diallo recebeu 44% dos votos durante o primeiro turno, seguido por Alpha Conde, que obteve 18%.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesGuinésegundo turno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.