Seguradora retira helicópteros de inspetores do Iraque

O Iraque informou que a maioria dos helicópteros utilizados pelos inspetores de armas da Organização das Nações Unidas (ONU) foram levados para a Síria, num momento em que o líder iraquiano Saddam Hussein prepara a defesa do país, com o estabelecimento de quatro regiões militares. Os helicópteros seguirão depois para Chipre, porque a companhia responsável pelo seguro das aeronaves suspendeu a cobertura, devido aos crescentes temores de uma iminente invasão do Iraque liderada pelos Estados Unidos. A ONU não se pronunciou sobre a partida de cinco dos oito helicópteros da entidade. Os três aparelhos que ficaram no Iraque são segurados por uma companhia diferente e continuarão sendo utilizados, informou o Diretório Nacional de Monitoramento a agência de ligação entre o governo iraquiano e os inspetores da ONU. Também neste domingo, o Iraque deu seqüência à destruição de mísseis Al-Samoud 2. Com isso, sobe para 68 o número de mísseis Al-Samoud 2 destruídos pelo Iraque em parceria com os inspetores de armas, apesar da iminência da guerra. De acordo com o Ministério da Informação do Iraque, uma equipe de inspeção de armas visitou neste domingo a Universidade de Tecnologia de Karbala, ao sul de Bagdá. No fim da noite de ontem, Saddam Hussein pôs o Iraque em estado de guerra ao colocar seu filho e três pessoas de sua confiança a cargo de quatro regiões militares para defender o país contra uma eventual invasão norte-americana. De acordo com a Agência de Notícias Iraquiana, Qusai, filho de Saddam, ficou a cargo do coração do regime - Bagdá e a cidade natal do presidente, Tikrit. O primo de Saddam, Ali Hassan al-Majid, foi posto a cargo do importante setor sul, de cara com as tropas norte-americanas e britânicas estacionadas no Kuwait. Al-Majid é conhecido entre os oponentes de Saddam como "Ali Químico", por seu papel na campanha de 1988 contra os rebeldes curdos no norte do Iraque, em que milhares de curdos morreram, muitos deles vítimas de ataques de armas químicas. O vice de Saddam, Izzat Ibrahim al-Douri, foi colocado no comando da estratégica região norte. O Eufrates central, que inclui os locais sagrados dos muçulmanos xiitas, foi posto sob o comando de Mazban Khader Hadi membro do Conselho do Comando Revolucionário, que está no poder. Somente o próprio Saddam detém a autoridade para ordenar o uso de mísseis terra-terra e os recursos aéreos, diz o decreto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.