Segurança de Blair custará R$ 12 milhões por ano, diz jornal

A segurança do ex-primeiro-ministro do Reino Unido Tony Blair e sua família custará aos cofres do Reino Unido pelo menos 3 milhões de libras (R$ 12 milhões) por ano, segundo o jornal The Daily Telegraph. O ex-primeiro-ministro é um dos principais alvos do terrorismo global, e a Polícia e o serviço de contra-espionagem britânico (MI5) acreditam que a Al-Qaeda terá Blair durante muitos anos em seu ponto de mira. A segurança de Blair, novo enviado especial do Quarteto de Madri para o Oriente Médio (EUA, ONU, UE e Rússia), incluirá agentes armados, proteção discreta para sua mulher, casas fortificadas e carros antibombas e à prova de balas. O custo aumenta muito pela relativa juventude de um casamento como o de Tony e Cherie Blair, com quatro filhos, seus planos de vida e a nova incumbência do ex-líder trabalhista. Os agentes encarregados de proteger a família Blair são especialmente preparados para evitar eventuais tentativas de assassinato e de seqüestro. Os custos da segurança para Blair superam o dinheiro investido para proteger a ex-primeira-ministra conservadora Margaret Thatcher quando esta deixou o Governo em 1990, apesar de que naquele momento ela ser um dos principais alvos do grupo terrorista Exército Republicano Irlandês (IRA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.