Regis Duvignau / Reuters
Regis Duvignau / Reuters

Segurança de Macron que agrediu manifestante será demitido, diz gabinete da presidência

Alexandre Benalla foi detido por acusações de atos de violência, usurpação de cargo e uso ilegal de insígnias reservadas à autoridade pública

O Estado de S.Paulo

20 Julho 2018 | 08h03

PARIS - Um agente de segurança do presidente francês, Emmanuel Macron, que aparece em um vídeo agredindo um manifestante no dia 1.º de maio, foi detido e será demitido, informou o gabinete da presidência nesta sexta-feira, 20.

No vídeo, Alexandre Benalla, equipado com um capacete de polícia, aparece agredindo violentamente um manifestante que já estava no chão, cercado por agentes do Batalhão de Choque. A ação provocou uma turbulência política na França, onde a oposição acusa as autoridades de terem tentado esconder o caso.

O Ministério Público de Paris disse que Benalla foi detido, acusado de atos de violência por parte de uma pessoa encarregada de uma missão do serviço público, usurpação de cargo e uso ilegal de insígnias reservadas à autoridade pública, assim como de cumplicidade no desvio de imagens de câmeras de segurança.

Benalla foi suspenso do emprego e privado de suas funções por 15 dias quanto à organização da segurança dos deslocamentos do presidente. Ele passou a se encarregar de tarefas de segurança interna no Palácio do Eliseu, segundo a emissora BFM TV.

Na investigação, três policiais foram suspensos de forma cautelar por terem extraído imagens das câmeras de vigilância e as transmitido a Benalla, relatou uma fonte próxima do caso.

Benalla foi o responsável pela segurança de Macron durante a campanha presidencial, antes de ser nomeado "responsável de missão" no Palácio do Eliseu. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.