Segurança é reforçada em sinagogas e mesquitas em Seattle

A polícia da cidade de Seattle, nos Estados Unidos, reforçou neste sábado, 29, medidas de segurança em mesquitas e sinagogas depois de um muçulmano, que disse estar incomodado com Israel, ter matado uma mulher e ferido outras cinco pessoas em um centro judeu.Naveed Afzal Haq, de 31 anos e de nacionalidade americana, invadiu na tarde da última sexta-feira a sede da Federação Judaica de Seattle e, após cometer os crimes, se entregou às autoridades sem oferecer resistência.As autoridades asseguraram que reforçaram as precauções e realizaram uma busca para tentar encontrar explosivos ou suspeitos adicionais. A Polícia de Seattle assegurou que irá vigiar desde hoje as sinagogas e organizações judaicas da cidade, assim como mesquitas, frente ao temor de possíveis represálias.Três das vítimas do ataque de ontem permanecem em estado grave, segundo informou uma porta-voz do Centro Médico Harborview. Todas as vítimas são mulheres de 23 a 43 anos, e entre elas está uma grávida de cinco meses, que recebeu um tiro no antebraço e não corre risco de morte.O vice-presidente da Federação Judaica, Amy Wasser-Simpson, declarou ao jornal Seattle Times que o homem conseguiu burlar as medidas de segurança do edifício e disparou contra suas vítimas após assegurar, em voz alta, que estava furioso com Israel e que era muçulmano.A imprensa local informou que Afzal Haq está em tratamento médico por um transtorno bipolar, e que anteriormente tinha cometido um "delito menor" por exibicionismo em um grande centro comercial.Afzal Haq será processado por homicídio e cinco casos de tentativa de assassinato.O advogado de Afzal Haq assegurou que os pais do agressor estão "muito, muito impressionados" com o que aconteceu. A Federação Judaica de Seattle foi uma das organizadoras de uma passeata no último final de semana para apoiar Israel no conflito contra o Líbano, que teve início no último dia 12 após o seqüestro de dois soldados israelenses pela milícia xiita libanesa Hezbollah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.