Segurança nuclear não será afetada, dizem analistas

A saída do presidente Pervez Musharraf não terá um impacto sobre como as armas nucleares do Paquistão serão controladas, disseram especialistas de institutos de segurança. O país testou sua bomba em 1998, um ano após Musharraf assumir o poder, em resposta a um teste similar da rival Índia. Segundo a Divisão de Planos Estratégicos, que controla o arsenal nuclear, há 10 mil soldados garantindo a segurança das armas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.