Segurança preocupa lideranças israelitas do mundo todo

Presidentes do Congresso Judaico Mundial para as comunidades israelitas nos cinco continentes começam uma maratona de consultas com o governo de Israel devido à deterioração da segurança de seus membros, agravada após os conflitos no Líbano. Segundo um comunicado do Congresso, presidido por Edgar Bronfman, houve "uma drástica deterioração da segurança em dezenas de pequenas comunidades judaicas no mundo todo", que alertaram essaorganização sobre "uma nova onda de incidentes anti-semitas". Israel Singer, presidente do Conselho de Assuntos Políticos do Congresso, afirmou à rádio pública que "muitos judeus nessas congregações se sentem inseguros, isolados e abandonados". Os presidentes continentais da organização, entre estes Jack Terpins, líder do Congresso Judaico Latino-americano, que representa mais de meio milhão de israelitas nesse subcontinente, e Alexander Mashkevitz, das comunidades de Europa e Ásia, analisarão a situação com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e com chefes dosorganismos de segurança. Entre responsáveis pelos organismos de segurança, indica o comunicado, se encontram o ministroda Defesa de Israel, Amir Peretz, o chefe dos Serviços Secretos (Mossad), Meir Dagan, e o general Benny Ganz. "A situação no Oriente Médio não é só um problema de Israel. Também prejudica as comunidades judaicas no mundo todo", assinala ocomunicado do Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.