Segurança redobrada nos EUA para o Dia da Independência

Os Estados Unidos passaram o Dia da Independência sob um esquema de segurança redobrado. Em junho, o governo chegou a anunciar que a Al-Qaeda planejava atacar novamente "em breve". O medo de atentados levou o Departamento de Segurança Nacional a aumentar a vigilância, principalmente em Washington, Nova York, Los Angeles e Chicago. Nos aeroportos, as revistas nas bagagens foram rigorosas. Nas estações de trem, metrô e ônibus, o policiamento também foi intensificado.No campo político, o presidente George W. Bush e o candidato democrata à Casa Branca, o senador John Kerry, trocaram farpas durante as viagens de campanha neste 4 de Julho. Em resposta às críticas do democrata, o vice de Bush, Dick Cheney, acusou Kerry ter uma visão "esquerdista e fora de contexto da situação política americana.Em meio às celebrações, em Charleston, na Virgínia Ocidental, Bush defendeu sua decisão de levar adiante a guerra no Iraque. "Na celebração dos 228 anos dos EUA, ainda acreditamos que a liberdade pode mudar o mundo", disse.

Agencia Estado,

04 de julho de 2004 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.