Seis anos após sua morte, Yasser Arafat vai ganhar museu na Cisjordânia

PALESTINOS

, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2010 | 00h00

Yasser Arafat (foto), que tinha o dom de transformar objetos comuns em símbolos, como o keffieh preto e branco que se tornou símbolo da luta palestina por um Estado, vai ganhar um museu, seis anos após sua morte. Os responsáveis por conservar a memória do ex-presidente palestino reuniram centenas de objetos - fotografias, armas, seu tradicional óculos de sol e seus uniformes militares - e vão expô-los em um prédio que está sendo construído ao lado do QG onde Arafat permaneceu por três anos cercado por soldados israelenses, em Ramallah, na Cisjordânia. Entre os itens que serão expostos está o keffieh que ele estava usando quando um helicóptero o retirou do edifício em Ramallah duas semanas antes de sua morte, em 11 de novembro de 2004. As peças expostas reafirmam a imagem de Arafat como uma pessoa simples, apesar de controlar grandes somas de dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.